Categorias
Dicas Notícias

Multtv inicia operação de streaming para provedores brasileiros

Com viés B2B, o serviço de streaming está disponível para provedores de internet com objetivo de atrair novos clientes e fidelizar a base.

Matéria original por Hamilton Nogueira do site o Povo

A Multtv, empresa que oferece plataforma de TV para provedores de internet, iniciou a operação de conteúdo via streaming aos ISPs – provedores – brasileiros, oferecendo novas possibilidades de serviços para os seus  provedores. O novo serviço, que já está em uso por alguns clientes da empresa, possibilita acompanhar a programação de canais já presentes na TV, agora via streaming, com dados transmitidos pela internet.

Segundo pesquisa realizada pela Finder, o brasileiro é o segundo maior consumidor de streaming do mundo, ficando atrás somente dos kiwis (como são conhecidos os cidadãos da Nova Zelândia), estando à frente, por exemplo, dos Estados Unidos. Quase 65% da população brasileira é assinante de ao menos um serviço de streaming, sendo as mulheres a maior parcela deste público.

Em um mercado aquecido, como o de streaming, a MultTv tem como principal objetivo facilitar ainda mais a operação de TV para os ISPs, ofertando o serviço via streaming, sem deixar de lado o compartilhamento de headend tradicional.

“Nossa preocupação, como empresa, sempre foi facilitar a vida dos provedores, oferecendo mais conteúdo para os seus assinantes, com uma operação simplificada. Agora, além do headend tradicional, temos com o streaming opções simples e rápidas para o provedor disponibilizar conteúdo para os clientes. É muito mais possibilidade para fidelizar clientes e também novas formas de aumentar o faturamento da empresa”, destaca Marcelo Rodrigues, diretor comercial da MultTv.

Há diferença no streaming oferecido pela MultTv se comparado aos grandes players. Netflix, Amazon Prime Video, Disney+, HBO Max são algumas das plataformas que oferecem ao cliente a possibilidade de assistir filmes, séries, documentários via streaming, com conteúdo sob demanda. Já a MultTv oferece aos provedores a possibilidade dos clientes assistirem programação ao vivo, sendo transmitida naquele momento, também via streaming, onde o assinante estiver, seguindo a grade de programação dos canais parceiros da MultTv. “O provedor oferecerá ao cliente a possibilidade de assistir aos canais onde ele estiver, com o aplicativo instalado em um smartphone ou tablet e, quando retornar para casa, poderá continuar assistindo ao mesmo programa em sua televisão ou computador”, reforça Rodrigues.

O aplicativo da MultTv está disponível também, como um dos pioneiros em TV linear via streaming, na plataforma do Roku, que é uma possibilidade para clientes que não possuem SmartTv e que queiram adquirir o serviço de streaming com o seu provedor de internet. “O portfólio de produtos e serviços da MultTv passou por reformulação e estamos com novidades que serão apresentadas brevemente para o mercado” destaca Rodrigues.

Sobre a MultTv

A Multtv é uma empresa especializada em compartilhamento de headend e streaming, que busca viabilizar a oferta de TV por assinatura a custos acessíveis. A companhia, que opera desde 2015, tem um modelo de negócio único, atuando em parceria com a SES (empresa de satélites reconhecida mundialmente) e apoio da Associação NEO e de programadoras de TV.

Categorias
Notícias

Qual sistema de TV por assinatura ter na empresa: Headend próprio ou compartilhado?

Matéria original por Gabriela Guimarães do site Segs

Ofertar novos serviços aos usuários pode aumentar em 30% o faturamento dos provedores

Expandir a empresa com um novo serviço é uma estratégia para fidelizar ainda mais o cliente, assim como aumentar o próprio número de consumidores. Para os ISPs a possibilidade disso é através da inclusão do serviço de TV por assinatura. Esse processo pode resultar em um aumento de 30% no faturamento, além de trazer uma imagem mais sólida para a empresa, que passa a vincular sua marca não apenas a novos serviços, mas sim, a grandes empresas do setor, passando a oferecer canais como CNN, Discovery Channel, Disney Channel, Warner, Band Sports, fomentando um padrão de visibilidade mais arrojado aos negócios.

Porém, após avaliar todas as vantagens de se investir em TV por assinatura, como fidelizar os clientes da base, atrair novos consumidores, aumentar a lucratividade da operação, o próximo passo do planejamento é entender quais são as opções de mercado para tornar viável a operação de TV por assinatura de uma maneira simples e menos burocrática possível, sem que seja necessário comprar antenas ou ter uma equipe técnica para a construção do parque com as antenas e mesmo a estrutura física dessa operação, ou seja, não basta apenas escolher dar o próximo passo, mas também, qual passo será o que garante maior cobertura e assessoria para a sua equipe em momentos de implantação e dúvidas.

De acordo com Alex Jucius, diretor-geral da Associação NEO: “Aumentar a sua gama de serviços traz inúmeras vantagens ao ISP. É importante que o ISP diferencie sua banda larga em relação aos seus concorrentes. Mais do que isso, agregar produtos como a IPTV, além de ter um aumento de receita para o usuário, é sabido que quanto mais produtos um ISP tem no seu pacote, menor será a redução de clientes que deixam sua base por mês. E a IPTV vem ampliar o número de pacotes disponíveis para o público”.

Headend próprio ou compartilhado, qual a melhor opção?

Headend Próprio funciona de forma muito similar ao Compartilhado, isso porque, ambos são uma central de recepção. No caso do ISP que pretende ter um headend próprio, para que tenha o processamento, geração e transmissão de sinais audiovisuais, todo o processo de licenças, contratos com operadora, busca por satélite é feito por conta própria e pago exclusivamente pelo empresário.

Estes custos tornam todo o processo de headend próprio extremamente caro para o provedor. Já o Headend Compartilhado também é uma central de recepção, que faz o processamento de mídia necessária para a operação dos serviços de TV por assinatura, que recebe os sinais de canais variados e os transmitem para o usuário. Esse processo é feito por distribuição de sinais via satélite e depois compartilhado com os provedores, que repassam aos clientes finais via IPTV, pelos cabos da operação de internet.

Para Osmir Petrini, sócio-diretor da Multtv, empresa que fornece compartilhamento de headend, um dos principais benefícios desse serviço é “Contar com todos os benéficos de personalização que um Headend próprio proporciona sem ter uma estrutura enorme em sua empresa e o melhor com custo de investimento na casa de 3% ao que custaria um headend próprio.

Outra vantagem desse compartilhamento é ter equipes especializadas cuidando de tudo para operação de TV por assinatura ter êxito, inclusive ajudando na venda do produto, além de treinamento de equipe de vendas, mas também profissionais de marketing para criação de campanhas e auxílio com regras de publicidade para cada emissora.

Tanto o Headend próprio quanto o Compartilhamento de Headend têm vantagens que o ISP pode acrescentar em sua gama de serviços. De acordo com Douglas Arruda, gerente de projetos do provedor Fasternet, a empresa criou uma imagem mais robusta perante o público. “Ganhamos também em profundidade. Os clientes se surpreendem ao saber que temos a opção da TV por assinatura porque a maioria deles tem uma imagem de que somente grandes provedores de internet conseguem vender TV e ainda temos agora a demanda fora do combo de televisão com a internet”.

Sobre a Multtv

A Multtv é uma empresa especializada em compartilhamento de headend que busca viabilizar a oferta de TV por assinatura a custos acessíveis. A companhia, que opera desde 2015, tem um modelo de negócio único, atuando em parceria com a SES (empresa de satélites reconhecida mundialmente) e apoio da Associação NEO e de programadoras de TV.
Categorias
Notícias

Nordeste tem a maior participação de pequenos e médios provedores de internet, aponta Anatel

Matéria Original por Daniel Tavares do site Tudocelular.com

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou um relatório sobre o mercado de internet e TV por assinatura no Brasil. Os números mostram que a região nordeste do país concentra o maior número de pequenos e médios provedores dos serviços.

Fortaleza, Natal, Teresina e Aracaju são as quatros capitais nordestinas que apresentam os maiores números de market share. No caso da capital do estado do Ceará, quase 60% de todos os assinantes de banda larga utilizam serviços de pequenos e médios provedores de internet.

Em Natal e Teresina, os líderes de mercado são os menores ISPs que, juntos, controlam 38% e 33% de todos os clientes de banda larga, respectivamente. Em Aracaju, capital do estado de Sergipe, 1 a cada 4 assinantes de internet banda larga opta pelo serviço de um pequeno ou médio provedor.

região Nordeste foi a única das 5 regiões brasileiras que obteve números positivos no mês de junho quando comparado a maio deste ano e junho de 2020. No comparativo mensal, os acessos e a densidade foram 0,4% maiores, enquanto no comparativo anual foram 2,5% e 1,9% maiores, respectivamente.

Ainda de acordo com os dados da Anatel, referentes ao mês de julho, os números são ainda maiores quando comparado ao mês anterior, junho no caso, já que o aumento em acessos e densidade da região Nordeste foi de 59,9%.

Na comparação anual, o mês de julho de 2021 foi 61% maior em densidade e acessos do que o mesmo mês de 2020. O Nordeste se mostra, mais uma vez, uma região com números interessantes no setor de TV por assinatura e internet fixa.

A MultTv, uma empresa de compartilhamento de headend, afirma que a inclusão da TV por assinatura na operação dos provedores de internet regionais é uma estratégia que permite o crescimento de faturamento e fidelização da base de clientes.

“O compartilhamento de headend tem possibilitado que ISPs de todo o Brasil passem a competir de igual para igual com os líderes de mercado. A estratégia permite um crescimento médio de 30% no faturamento dos provedores”, disse o diretor comercial da MultTv, Marcelo Rodrigues.

E você, mora no nordeste e usa os serviços de alguma ISPs? Conta pra gente nos comentários logo abaixo!

Categorias
Dicas Notícias

Canais da Ole Brasil Distribution estão disponíveis a pequenos e médios ISPs pela MultTV

Matéria original por Anderson Ramos do site Universo da TV

A programação da Ole Brasil Distribution passa a ser disponibilizada aos pequenos e médios ISPs brasileiros através de parceria firmada com a MultTV, empresa especializada no compartilhamento de headend, que agora também inclui oito dos canais essenciais da Ole aos seus clientes: A&E, AXN, E!, History, History2, Lifetime, Sony e Warner, com conteúdos consagrados como Grey´s Anatomy, The Big Bang Theory, Keeping Up with the Kardashians e Caçadores de Relíquias, entre outros que são exibidos por esses canais e acompanhados avidamente pelo público. 
Canais de filmes e séries, presentes neste portfólio, estão diretamente ligados ao aumento do tempo em que a audiência assiste conteúdos no Brasil. Segundo o relatório da Kantar Thermometer, a audiência de Filmes e Séries aumentou 47% entre 2020 e 2021. E o tempo médio assistido por dia chegou a 7h54, um aumento de 1h20 frente ao mesmo período anterior. Já o segmento Documentário e Factuais apresentou crescimento expressivo de 25% de telespectadores.
Para o diretor comercial da MultTV, parcerias como a estabelecida com a Ole Brasil Distribution e outras operadoras que a empresa vem atuando com o compartilhamento de headend em todo o País, são essenciais para garantir acesso de qualidade às informações e ao entretenimento para o público. “Essa parceria nos dá a possibilidade de viabilizar canais aclamados para regiões que antes não tinham acesso a entretenimento e agora poderão assistir a séries, filmes e programas premiados”, destaca.
Rodrigues ressalta que a parceria com a Ole Brasil Distribution faz parte do projeto de expansão de portfólio da MultTV: “Nosso propósito sempre foi democratizar o acesso à programação de qualidade aos ISPs brasileiros, facilitando a operação de TV por assinatura e os trâmites com as programadoras, tendo como meta atender as regiões do Brasil que não possuem acesso a informação de qualidade, ao entretenimento e a canais educativos. Temos trabalhado lado a lado com as programadoras para ampliar o alcance e incansavelmente com os ISPs para que o mercado seja fortalecido e assim possam entregar um produto mais completo aos seus clientes.”

Categorias
Notícias

Como o chamado “gato” prejudica a economia brasileira, expõe o usuário e compromete até a geração de empregos

Matéria original do site Blog jornal da mulher

Brasil chega a perder R$ 1 bilhão em arrecadação tributária

Uma prática comumente ignorada como crime e defendida por parte da população, por não causar “nenhum mal”, a pirataria de TV por assinatura, na verdade, causa um dano gigantesco à economia nacional. Segundo a ABTA, Associação Brasileira de TV por Assinatura, mais de 150 mil postos de trabalho podem ser extintos em dez anos, além de R$ 10 bilhões em investimentos que podem não chegar ao setor. Também de acordo com dados da ABTA, o Brasil perde, em média, R$ 1 bilhão por ano em arrecadação tributária por causa dessa pirataria.

Para ter acesso a canais da TV por assinatura, muitas pessoas recorrem a aparelhos que conseguem fornecer ilegalmente acesso a esse conteúdo. Além desta forma, o serviço pirata também é fornecido pela internet.

O que muitos não sabem, é que além dos problemas econômicos que esta prática pode gerar, o usuário está cometendo um crime, e ainda pode estar vulnerável a ataques cibernéticos e exposição de dados.

Brasil chega a perder R$ 1 bilhão em arrecadação tributária

Assistindo qualquer programação ilegalmente, seja pelo computador ou pela televisão, quem assiste coloca em risco todos os equipamentos que estão conectados à mesma rede WI-FI. Até mesmo os dados do banco podem ficar comprometidos quando se acessa a conta por um celular que está conectado à mesma rede. Isso acontece porque um hacker pode invadir a rede de internet doméstica a partir do acesso do usuário ao sinal de TV por assinatura pirata.

Sem falar na multa que tudo isso pode causar a quem compartilha o sinal ilegalmente, podendo chegar a alguns casos, em R$ 10 mil, assim como partilhar o sinal de internet com o vizinho.

Para completar, ainda temos o alto consumo do pacote de dados pelo aparelho ilegal, que permanece ligado e utilizando grande parte da internet contratada pelo cliente, o que pode atrapalhar seu uso para atividades como home office e consumo de aplicativos de streaming.

De acordo com Carolina Straccia, Gerente de Marketing da MultTV, empresa especializada no compartilhamento de headend que atua em parceria com operadoras de todo o país, “Ao fazer a conta de todos os potenciais riscos que o cliente corre ao recorrer à TV Pirata, aliados à falta de qualidade no produto e do alto consumo de pacote de dados, o barato acaba saindo caro. Ao contratar um pacote de TV por assinatura de maneira legal, o cliente elimina estes riscos e ainda conta com um serviço de atendimento de qualidade quando precisar.”

Categorias
Dicas Notícias

Canais infantis se tornam aliados dos pais durante quarentena. Audiência cresceu em 34% na TV paga

Matéria original por Analice Nicolau do site Jornal de Brasília

Durante o período de quarentena, muitos pais perceberam a dificuldade que seria conciliar o trabalho em home office, a escola dos filhos e o entretenimento dos mesmos durante todo o restante do período. E foi nos canais infantis da TV paga que os responsáveis por essas crianças encontraram um refúgio, fazendo a audiência dos programas infantis crescer em 34%, segundo dados do Kantar IBOPE Media.

Uma pesquisa realizada pela Catho apontou que 40,5% das mães têm dificuldade nesta conciliação de trabalho, tarefas domésticas e filhos, e uma das principais dicas de especialistas é encontrar fontes de entretenimento que possam ajudar a criança e que sejam, ao mesmo tempo, educacionais.

É o caso, por exemplo, do canal Discovery Kids, que ajuda a guiar as crianças em seu percurso de exploração e descoberta do mundo, e no ano de 2020 ficou entre os 10 canais mais assistidos da Pay TV e está em 1º entre os infantis. Já o canal Nickelodeon, tem uma programação que desenvolve habilidades e criatividade através da brincadeira foi o canal infantil com maior crescimento durante o período de quarentena de 2020, com aumento de 40% em sua audiência.

Marcelo Rodrigues, diretor comercial da MultTV

De acordo com Marcelo Rodrigues, diretor comercial da MultTV, empresa especializada no compartilhamento de headend que atua em parceria com operadoras de todo o país, “Com todos os canais que conseguimos disponibilizar aos nossos clientes, é possível que as crianças desfrutem de canais feitos especialmente para suas faixas etárias, e possam assistir a uma diversidade de desenhos educacionais, interativos e lúdicos, auxiliando os pais neste período de quarentena”.

Ter acesso a esses canais possibilita maior tranquilidade, para que os pais possam trabalhar e fazer as tarefas domésticas enquanto proporcionam um entretenimento de qualidade para as crianças, sem qualquer preocupação.

Categorias
Notícias

Marcelo Pinheiro: Proximidade com o público é o diferencial das operadoras regionais de TV e Internet

Matéria original do site Prensariozone


Marcelo Pinheiro, CEO de NIPBr e sócio da MultTV

MultTV, empresa que segundo seus executivos criou o primeiro headend da história da TV por assinatura brasileira, afirma que hoje tem ‘o que há de mais moderno em operação’, e que foi criada com regras próprias, o que lhe permitirá lançar no futuro, vários produtos.

Em entrevista à PrensarioMarcelo Pinheiro, CEO de NIPBr e Sócio da MultTV, afirmou que ainda não será possível avançar com os lançamentos porque » são segredo», mas comentou que a MultTV entrega a infraestrutura ao seu cliente para que o proveedor tenha os canais pagos na sua operação. Desta forma, ´o provedor passa a comercializar “sua TV”, ou seja, ele não se torna um revendedor, senão que detém sua marca de TV por assinatura, portanto, somos a opção mais rápida para o cliente oferecer TV por assinatura para ISPs ((Internet Service Provider)´.

Para o executivo, a oferta do TriplePlay continua sendo um diferencial, mesmo nos últimos tempos com ´o crescimento exponencial das plataformas de streaming, os canais lineares ainda têm espaço garantido´. Segundo ele, outro diferencial do serviço da MultTV é a proximidade com o público já que ao contrario das ´grandes operadoras, o ISP Regional possui maior proximidade com seus clientes, canais diferenciados, e, portanto, um tempo de resposta a qualquer inconveniente mais rápido, o que torna o seu serviço superior às grandes operadoras´, o que permite que em tempos sanitária e economica os operadores tenham crescido cerca de 25%.

Datacenter e serviços da SES

Marcelo Pinheiro explicou que a empresa está presente em dois Datacenters instalados no estado de São Paulo, um na cidade de Boituva e outro em São José dos Campos, e que todo o conteúdo está presente também no ´Satélite mais modernos em órbita do SES, e em banda C. O conteúdo das programadoras é entregue ao ISP a través de enlace satelital na localidade do ISP. Esta solução permite a MultTV entregar, com a mesma qualidade, a clientes em todo o território nacional, sem problemas com fronteiras´.

Por isso, disse Pinheiro, a decisão de transmitir via satélite assenta em dois pilares fundamentais. ´O satélite tem o melhor SLA de comunicação, e o SES-6 tem cobertura nacional, pelo que qualquer ISP pode subscrever a MultTV´.

Por outro lado, o executivo explicou que embora a empresa seja cliente da SES, visto que paga pelos seus serviços, ao mesmo tempo é associada da empresa luxemburguesa porque “somos parceiros pois outros negócios além da MultTV ocorrem em background, sem contar que a SES acreditou desde o início na MultTV a qual hoje é um sucesso comprovado´.

Uso compartilhado de headend

A empresa afirma ter o serviço de compartilhamento de headend, pelo qual o ISP não precisa se preocupar com equipamentos, engenharia, monitoramento etc., ´pois a MultTV faz todo o trabalho para ele´. Primeiramente, a MultTV recebe o conteúdo dos Programadores em seu headend, localizado em Boituva, e uma vez processado o conteúdo (regularização de áudio e legendas), faz um uplink para o satélite SES-6. A segunda etapa é fazer o downlink para a operação do cliente. ´Este passo é composto pela instalação de antena e equipamentos fornecidos em comodato pela MultTV. O alinhamento da antena, configuração e baixa definitiva dos canais fechados é realizado nesta fase. Paralelamente, o ISP deve provisionar uma segunda antena e equipamentos IRD´s para a captação dos canais obrigatórios, abertos e regionais. Esta segunda antena é direcionada par um outro satélite´.

A partir deste momento, o ISP já dispõe na sua operação do conteúdo a ser distribuído. Desta forma disponibiliza em seu backbone este conteúdo. ´Para atender ao usuário final, é instalado um set-top-box na casa do cliente que é supervisionado pela inteligência do headend, que tem a responsabilidade de entregar a programação contratada pelo assinante

Categorias
Uncategorized

Webinar Multtv – 25 de março de 2021

No dia 25 de março de 2021 foi realizado um Webinar especial sobre Treinamento de Vendas, Conteúdo e Marketing, ministrado pela nossa gerente de marketing Carolina Straccia.

O evento contou com a participação dos seguintes convidados:

  • Convidados: Giovana Bianchini – Discovery Networks
  • Maria Cecilia – NIPBR
  • Mário Rodrigues – IBN Vendas
  • Péricles Oliveira – He-Net
  • Lorena Doria – He-Net

Confira na íntegra o conteúdo: