Como o chamado “gato” prejudica a economia brasileira, expõe o usuário e compromete até a geração de empregos

Matéria original do site Blog jornal da mulher

Brasil chega a perder R$ 1 bilhão em arrecadação tributária

Uma prática comumente ignorada como crime e defendida por parte da população, por não causar “nenhum mal”, a pirataria de TV por assinatura, na verdade, causa um dano gigantesco à economia nacional. Segundo a ABTA, Associação Brasileira de TV por Assinatura, mais de 150 mil postos de trabalho podem ser extintos em dez anos, além de R$ 10 bilhões em investimentos que podem não chegar ao setor. Também de acordo com dados da ABTA, o Brasil perde, em média, R$ 1 bilhão por ano em arrecadação tributária por causa dessa pirataria.

Para ter acesso a canais da TV por assinatura, muitas pessoas recorrem a aparelhos que conseguem fornecer ilegalmente acesso a esse conteúdo. Além desta forma, o serviço pirata também é fornecido pela internet.

O que muitos não sabem, é que além dos problemas econômicos que esta prática pode gerar, o usuário está cometendo um crime, e ainda pode estar vulnerável a ataques cibernéticos e exposição de dados.

Brasil chega a perder R$ 1 bilhão em arrecadação tributária

Assistindo qualquer programação ilegalmente, seja pelo computador ou pela televisão, quem assiste coloca em risco todos os equipamentos que estão conectados à mesma rede WI-FI. Até mesmo os dados do banco podem ficar comprometidos quando se acessa a conta por um celular que está conectado à mesma rede. Isso acontece porque um hacker pode invadir a rede de internet doméstica a partir do acesso do usuário ao sinal de TV por assinatura pirata.

Sem falar na multa que tudo isso pode causar a quem compartilha o sinal ilegalmente, podendo chegar a alguns casos, em R$ 10 mil, assim como partilhar o sinal de internet com o vizinho.

Para completar, ainda temos o alto consumo do pacote de dados pelo aparelho ilegal, que permanece ligado e utilizando grande parte da internet contratada pelo cliente, o que pode atrapalhar seu uso para atividades como home office e consumo de aplicativos de streaming.

De acordo com Carolina Straccia, Gerente de Marketing da MultTV, empresa especializada no compartilhamento de headend que atua em parceria com operadoras de todo o país, “Ao fazer a conta de todos os potenciais riscos que o cliente corre ao recorrer à TV Pirata, aliados à falta de qualidade no produto e do alto consumo de pacote de dados, o barato acaba saindo caro. Ao contratar um pacote de TV por assinatura de maneira legal, o cliente elimina estes riscos e ainda conta com um serviço de atendimento de qualidade quando precisar.”

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas do Blog